top of page

Justiça marca audiência de instrução e julgamento de autor de chacina em Sinop


Edgar Ricardo de Oliveira, de 30 anos, se entregou à polícia na manhã desta quinta (23), em Sinop. — Foto: Reprodução/Rede social

A Justiça marcou a audiência de instrução e julgamento de Edgar Ricardo de Oliveira, 30 anos, autor da chacina em um bar de Sinop, a 503 km de Cuiabá, que vitimou sete pessoas, para o dia 28 de abril. Ele está preso na Penitenciária Central do Estado (PCE), em Cuiabá.


Edgar foi preso no dia 23 de fevereiro, após se entregar à Polícia Civil. O cúmplice dele, Ezequias Souza Ribeiro, de 27 anos, morreu em confronto com a Polícia Militar, na quarta-feira (22).


A equipe do advogado Marcos Vinícius Borges, que representa Edgar, à época do crime, informou que o acusado não teve a intenção de matar a adolescente, que se mostra arrependido e irá arcar com as consequências jurídicas do processo.


A audiência de instrução e julgamento é considerada um dos principais ato dentro de um processo. Serão ouvidas testemunhas, sobreviventes, peritos e acusados para que sejam colhidas provas orais, por meio de depoimentos.


Na mesma audiência será decidida a forma de julgamento do réu. Por se tratar de crime contra vida, o caso é passível de júri popular.


Assim que foi preso, durante a audiência de custódia, Edgar respondeu apenas as perguntas qualificatorias, como nome, moradia, ocupação, entre outras. Ele afirmou que tem um filho de 7 anos e que a esposa está grávida. Sobre a chacina, o acusado se manteve em silêncio.


Jogo e aposta perdida

Edgar Ricardo de Oliveira, de 30 anos, e Ezequias Souza Ribeiro, de 27 anos, foram identificado como os autores do crime — Foto: Reprodução

Edgar e Ezequias mataram sete pessoas após perderem cerca de R$ 4 mil em uma aposta de sinuca. Um vídeo registrado pelas câmeras de segurança do bar mostrou o momento em que um dos homens, com uma pistola, pede para que as algumas das vítimas fiquem de costas, viradas para a parede (veja abaixo).


Enquanto isso, um outro homem pega uma espingarda calibre 12 mm na caminhonete e, em seguida, atira contra as vítimas. Algumas das pessoas tentam correr, mas são atingidas fora do bar.


Após a execução, os homens roubaram o dinheiro que estava em uma das mesas de sinuca, além de outros objetos do bar. Eles fugiram em uma caminhonete que estava estacionada em frente ao local.


Além dos suspeitos, nove pessoas estavam no local. Seis morreram no bar e um homem foi socorrido em estado grave pelo Corpo de Bombeiros, mas não resistiu.


Histórico

A Polícia Civil informou que os autores da chacina têm diversas passagens pela polícia. Conforme o delegado Bráulio Junqueira, responsável pelas investigações, Ezequias por porte de arma ilegal, roubo, formação de quadrilha, lesão corporal e ameaça, além de possuir um mandado de prisão em aberto. Já Edgar tem registro por violência doméstica.


Segundo o delegado Bráulio Junqueira, responsável pelas investigações, testemunhas disseram em depoimento que o clima no bar estava tranquilo antes do crime.


“Em momento algum, houve discussão ou desentendimento. Aparentemente, estava tudo normal”, disse o delegado.


A caminhonete e a espingarda usada pelos autores foram apreendidas na manhã desta quarta, em um terreno no bairro Vila Verde. De acordo com a investigação, o imóvel tem ligação com um dos suspeitos.


Edgar tem registro como Colecionador, Atirador Esportivo e Caçador (CAC) e chegou a frequentar um clube de tiro de Sinop, mas foi desfiliado por faltas, de acordo com a Federação de Tiro de Mato Grosso (FTMT). Anteriormente, a polícia havia informado que ele frequentava um estabelecimento de Sorriso, também no norte do Estado.


Em um vídeo postado nas redes sociais, Edgar mostra que estava em um clube de tiro e tinha acertado um alvo. Ele mostra as balas usadas nos disparos.


Imagens antes dos tiros

Vídeos das câmeras de segurança e feitos por uma das vítimas mostram a movimentação no bar de Sinop, momentos antes do crime.


Um dos equipamentos registrou dois homens jogando sinuca e outros três sentados, olhando o jogo. Nas imagens, também aparecem as pessoas que estão sentadas longe da mesa de sinuca. O flagrante mostra a adolescente e uma mulher, que sobreviveu.

Comments


bottom of page