top of page

Padrasto confessa que torturava bebê de 1 ano e 11 meses com ajuda da mãe da criança em Tangará


Foto: Ilustrativa/Reprodução/Agência Brasil

Um casal suspeito de agredir constantemente uma criança de apenas 1 ano e 11 meses foi preso pela Polícia Civil, na manhã de terça-feira, 22, em trabalho realizado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Tangará da Serra.

A mãe da criança, de 27 anos, e o padrasto, de 26 anos, tiveram as ordens de prisão decretadas pela 1ª Vara Criminal da Tangará da Serra pelo crime de tortura.

As diligências iniciaram após denúncia feita pelo Conselho Tutelar à Polícia Civil, sobre um bebê que vinha sendo agredido fisicamente pela mãe e pelo padrasto. De acordo com informações, os vizinhos ouviram os choros da criança e acionaram o Conselho Tutelar, que esteve no local e constatou diversas lesões no corpo e rosto da vítima.


CAIU DA CAMA

Questionada, a suspeita inicialmente alegou que o bebê havia caído da cama e por esta razão estava machucado. A mulher, que está no segundo mês de gestação do terceiro filho, foi conduzida à delegacia para prestar esclarecimentos, ocasião em que disse que o companheiro havia agredido a criança.


CONFESSOU

Conforme a delegada responsável pelo inquérito, Liliane Soares Diogo, o padrasto também foi ouvido e afirmou que tanto ele quanto a companheira batiam no bebê.

“Diante da materialidade do crime e dos indícios de autoria, representamos pelas prisões preventivas dos suspeitos pelo crime de tortura, sendo as ordens judiciais deferidas pelo Poder Judiciário”, destacou Liliane Diogo.

De posse dos mandados judiciais, os policiais civis foram até a residência do casal no bairro Dona Júlia, onde deram cumprimento ao mandado de prisão contra o casal. Eles foram conduzidos até a DEDM para as providências cabíveis e posteriormente colocados à disposição da Justiça.

O bebê agredido foi entregue pelo Conselho Tutelar ao avô materno, responsável pela guarda da criança, o qual já cuida de outro filho da agressora, que tem 6 anos de idade.


MÃE NEGOU

O homem preso junto com a esposa grávida, acusados de torturar um bebê de um ano e 11 meses, confessou que agredia o enteado com a ajuda da mãe dele, na casa onde moravam, no Dona Júlia.

Na delegacia, a mãe da vítima mudou a versão e disse que o companheiro havia agredido a criança. Ele confessou que agredia o enteado com a ajuda da companheira.

O casal teve o mandado de prisão preventiva expedido pela 1ª Vara Criminal da Tangará. Após esclarecimento na delegacia, eles foram encaminhados para cadeia, onde ficaram à disposição da Justiça.


Autor da notícia: Repórter MT

Σχόλια


bottom of page