top of page

Pai estupra filha de 12 anos e obriga menina a tomar abortivo em Juína

Policiais da Delegacia de Juína, na região noroeste do estado, prenderam nesta sexta-feira (27.01) um homem de 32 anos pelo crime de estupro de vulnerável cometido contra a própria filha.


O agressor sexual teve a prisão preventiva decretada pela Justiça após a investigação conduzida pela Delegacia de Juína apurar que ele cometeu abusos sexuais contra a filha, de 12 anos, e ainda a induziu a ingerir um abortivo caseiro.


Em outubro do ano passado, a Polícia Civil recebeu a comunicação do Conselho Tutelar do município sobre o crime cometido contra a criança, que foi atendida por uma profissional da Diretoria Regional de Educação. O laudo emitido apontava que a menina havia sofrido os abusos em diversas ocasiões, quando o pai se aproveitava que a mãe estava fora da residência. Ele mandava a criança ir para um quarto e tirar a roupa e ainda dizia que ‘aquilo’ estava acontecendo por ‘culpa’ da vítima.


A criança relatou, durante a escuta especializada, que escondeu os abusos por receio do pai ir preso e não ter quem cuidasse dela e dos irmãos. A vítima contou ainda que, em certa ocasião, sentiu dores abdominais e o pai comprou um abortivo caseiro e a fez tomar, com medo de que fosse uma gravidez. Ele, inclusive, ainda disse que a filha estaria grávida de um menor de idade.


A menina contou ainda que quando tinha cinco anos de idade também sofreu abusos do avô paterno, que a acariciou intimamente, dizendo à menor para que não contasse a ninguém.


O laudo apontou que a vítima ficou emocionalmente abalada com o crime e faz acompanhamento psicológico. O laudo pericial requisitado pelo delegado Jean Andrade comprovou que houve conjunção carnal.


Com a investigação instaurada, o delegado representou pela prisão preventiva do pai da vítima, que foi cumprida nesta sexta-feira. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção de Juína.

Opmerkingen


bottom of page