top of page

Sem indícios de participação em homicídio, casal é liberado

Casal de 18 e 20 anos preso por envolvimento na morte do professor Celso Gomes, 63, foi liberado na sexta-feira (10), pouco tempo após ser preso por envolvimento na morte do professor.


Os jovens soltos prestaram esclarecimentos à polícia, que não encontrou provas suficientes da participação de ambos no homicídio,

Conforme informações da Polícia Civil, os dois maiores foram liberados por não haver indícios de flagrante contra eles, porém, ambos seguem investigados.


Já os dois menores, de 16 e 17 anos, foram autuados em flagrante por homicídio qualificado e ocultação de cadáver do professor. O de 17 confessou ter matado a vítima asfixiada e depois ateado fogo no corpo. Já o comparsa ajudou a esconder os restos mortais.

 

Celso Gomes, 63, desapareceu na sexta-feira (3), após sair para visitar sua chácara em Santo Antônio do Leverger (34 km ao sul de Cuiabá), desde então ele não foi mais visto.


Na terça-feira (7), o carro da vítima, Volkswagen Gol GT branco, foi encontrado sujo e com marcas de batidas nas laterais.


Além do veículo, uma avaliação de matemática antiga aplicada pelo professor estava em terreno baldio no bairro Jardim Imperial. Dois cartões de banco em nome dele foram achados no "linhão" da região do Parque Cuiabá.


Já o corpo do professor foi encontrado carbonizado na sexta-feira (10), dia em que os 4 suspeitos de envolvimento no crime foram presos. Um dos menores, de 17 anos, confessou que matou o professor por asfixia, após aceitar uma carona.


Em depoimento à polícia, o menor relatou que ele e o amigo de 16 anos esconderam o corpo do professor próximo da Lagoa Trevisan, onde atearam fogo.

Fonte: Gazeta Digital

Comments


bottom of page