top of page

Tangará da Serra: Homem efetua disparo de arma de fogo contra caminhão e acaba preso pela PM


Um homem foi preso no início da noite desta terça-feira (09) suspeito de ter efetuado disparo de arma de fogo contra um caminhão em Tangará da Serra. A Polícia Militar agiu rápido, assim que recebeu o chamado, e prendeu o suspeito no Jardim Buritis II, por disparo de arma de fogo, porte ilegal de arma de fogo e por adulteração de sinal identificador de uma motocicleta.


Narra o boletim de ocorrência que uma guarnição policial chegava a Tangará, vindo de Brasnorte, quando recebeu o chamado para atender a ocorrência em que um motociclista havia efetuado disparo de arma de fogo contra um caminhão no Buritis II. Ele ainda tentou fugir, mas foi perseguidos pelos policiais que o prenderam logo em seguida.


O motivo da ação do elemento e suas intenções com a ação criminosa não foram reveladas.


“Ao desembarcarmos da viatura o suspeito começou a correr, deixando para trás os chinelos, durante a fuga, o suspeito retirou de seu corpo e jogou ao solo um revólver calibre 32, marca taurus, com 05 munições sendo 04 percutidas (houve a tentativa de dispará-las com acionamento da tecla do gatilho e o cão impactando a espoleta do estojo sem contudo deflagrar a munição) e 01 munição efetivamente deflagrada, restando apenas o estojo”, diz trecho do registro policial.


O suspeito, durante a tentativa de fuga, ainda dispensou um celular Motorola. Com ele os policiais encontraram também R$ 234,00 e uma pulseira dourada.


O motorista do caminhão relatou a PM que o suspeito teria efetuado um disparo de arma de fogo contra o seu veículo. O motorista não se feriu.



O suspeito foi levado para a Delegacia e durante checagem da motocicleta Honda CG 160 Fan, utilizada por ele no crime, “foi constatado que o sinal identificador da moto não está registrado para nenhum veículo e, ao checar o chassi, constatou-se que a motocicleta não está registrada no nome de ninguém, havendo indícios de que o suspeito também teria perpetrado o crime previsto no art. 311 do Código Penal”, que é a adulteração ou remarcação de número de chassi ou qualquer sinal identificador de veículo automotor, de seu componente ou equipamento.


Durante o atendimento da ocorrência, o seu celular do suspeito recebeu chamadas de um cidadão que, segundo relato policial, é uma liderança da facção Comando Vermelho.


O elemento, de identidade não divulgada, juntamente com o revólver calibre 32, 05 munições, 01 aparelho celulare, R$ 234,00, 01 pulseira dourada e a motocicleta foram entregues à Polícia Civil.

Comments


bottom of page