top of page

executado em Alta Floresta pode ter sido alvo do ‘tribunpal do crime

A morte de Cleverson da Silva Reis, de 27 anos, segue investigada pela Polícia Civil de Alta Floresta. O homem que saiu do estado de Minas Gerais para trabalhar no extremo norte de Mato Grosso, foi encontrado na terça-feira (07), pela manhã, morto, dentro de um carro na MT-325 aos fundos do bairro dos servidores públicos sentido Porto de Areia.


Desde o primeiro momento, a polícia não descartou uma execução, já que o homem estava com sinais de tortura nas costas e dedos dos pés e das mãos. “Tentaram lhe arrancar as unhas”, comentou um policial acrescentando que outros sinais eram de possíveis chicotadas.


Cleverson também tinha uma camiseta amarrada na boca, possivelmente para que não pudesse gritar quando era espancado. Mas o homem teria morrido devido a vários disparos de arma de fogo que o atingiram na barriga, peito e cabeça.


O carro que estava morto dentro seria do seu uso, trazido da cidade de Minas Gerais. “Estava em Alta Floresta há uns dois meses. É natural de Uberlândia”, comentou uma fonte não descartando que o alvo pode ter sido confundido com membro de facção rival e foi julgado pelo tribunal do crime. “Com certeza pensaram que era de outra organização”, analisou o agente de segurança.


A polícia até os últimos dias ainda não encontrou registros de envolvimento de Cleverson com crimes, mas o caso segue investigado. O corpo foi transladado para Urbelândia.

Fonte: Nortão Online

Comments


bottom of page